SegInfocast #36 – Gerenciamento Contínuo de Vulnerabilidades

SegInfocast #36 – Faça o download aqui.

Neste episódio eu recebi Rafael Soares, Diretor Técnico da Clavis Segurança da Informação, para uma conversa sobre gerenciamento de vulnerabilidades. Ao longo da conversa, foi possível discutir diversos aspectos do gerenciamento de vulnerabilidades e a importância de manter um sistema de gerenciamento contínuo de vulnerabilidades.

Benefícios do gerenciamento contínuo de vulnerabilidades

Rafael explica que testes de invasão ou auditorias pontuais permitem ter visibilidade apenas do estado de segurança de um determinado instante de tempo, identificando as vulnerabilidades a que se exposto até a correção das mesmas. O gerenciamento contínuo permite diminuir o tempo de exposição do ambiente as vulnerabilidades encontradas através de um ciclo de detecção e resposta as ameaças.

Vantagens da vigilância contínua para novos dispositivos, servidores e aplicações

Novas vulnerabilidades são descobertas todos os dias e a realização de testes periódicos permite reduzir as chances de um usuário malicioso identificar uma vulnerabilidade em seu sistema antes de você.

O dinamismo do ambiente também contribui para a necessidade do gerenciamento contínuo, pois o ambiente das empresas mudou, devido ao BYOD e a Internet das Coisas, novos dispositivos desconhecidos, que não pertencem e não são gerenciados pelas empresas, são utilizados em redes corporativas aumentando o risco de exposição a novas vulnerabilidades. Além disso, o conceito de “perímetro de segurança” vem mudando com o crescimento do o uso de nuvens privadas e públicas.

Nichos que demandam serviços de gerenciamento de vulnerabilidades

Rafael cita setores cujo foco é a prevenção de fraudes, e tais setores são os que mais demandam esse serviço de vigilância contínua, como é o caso dos setores de e-commerce e internet banking.

Os sistemas industriais e de automação para infraestruturas críticas também demandam esse tipo de serviço. Esse tema já que tratado no SegInfocast #33.

A questão das não-conformidades

Com o gerenciamento contínuo é possível identificar se determinado ativo está aderente as políticas e normas de segurança vigentes (baselines), permitindo (ou não) o acesso a rede desses ativos.

É possível ainda criar alertas personalizados e iniciar o processo contínuo de descoberta, classificação, correção e prevenção das vulnerabilidades. Os relatórios (técnicos ou gerenciais) também permitem personalização adequada ao público alvo.

Rafael Soares é o Diretor Técnico da Clavis Segurança da Informação e é atuante nas áreas de Detecção e Resposta de Incidentes de Segurança, Testes de Invasão e Auditoria de Redes, Sistemas e Aplicações.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: