SegInfocast #46 – Automação na Análise de Dados para Big Data

SegInfocast #46 – Faça o download aqui. (28:07 min, 20,3 MB) 

Neste episódio, eu recebi novamente o especialista em Segurança da Informação Rodrigo “Sp0oKeR” Montoro da área de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação da Clavis para compartilhar a sua experiência em Análise de Dados para Big Data.

Big Data nos dias atuais

Rodrigo explica que Big Data é o resultado do imenso volume de dados gerados no dia a dia, seja através de compras online, mensagens em redes sociais ou até mesmo pequenos cliques na web, porém, o mais importante não é a quantidade de informações e sim como esses eventos são tratados. Isso vem se tornando um grande desafio para as empresas visto que a análise e triagem dos dados requer muito tempo e trabalho. Este cenário têm um papel fundamental na estratégia de segurança da informação das organizações. Para mais informações sobre segurança em Big Data conheça a solução Octopus tema do seginfocast #31.

Jornada de Geração de Evento

A jornada de geração de eventos se inicia pela definição da superfície de ataque, quais tipos de eventos serão captados e como isso será efetuado. O próximo passo está relacionado ao enriquecimento dos dados, isso se dá através da estruturação e agregação dos eventos. Em seguida temos a etapa em que o analista SOC dispara um script que define prioridades para alertas de eventos baseados em pesquisas básicas, regras de negócio e muito mais.

Se você quer saber mais detalhes sobre a solução SOC , visite o site da Clavis!

Onde entraria a automação ?

O processo de triagem de eventos pode ser uma tarefa extremamente prolongada e custosa para os analistas, pois com Big Data a geração de alertas tende a ser bastante numerosa, e é nesse momento que a automação pode nos beneficiar com agilidade, processos multitask, e eliminação de eventos de baixa relevância.

Qual o funcionamento de um bot nessa jornada ?

O bot atuará como um auxiliador do analista, uma das possibilidades de uso é operá-lo como um filtro extra, que irá retornar metadados para serem melhor aproveitados. Outra possibilidade é fazer com que o bot interaja com os usuários do sistema, para que desta forma possa resolver processos mais simples sem qualquer intervenção humana.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: