Gerenciamento de pacotes no Windows com Chocolatey

CHOCOLATEY

Olá pessoal,

Poder automatizar tarefas, simplificando a instalação e distribuição de softwares é o que todos queremos certo? Imaginem a possibilidade de redução do esforço e a repetição na preparação e entrega e gerência de aplicativos em desktops e servidores com Windows. Como podemos fazer isso de uma forma fácil? Através de politicas de grupo (GPOs) ou softwares de terceiros?

Não!

Como fazer então? Utilizando o Chocolatey (https://chocolatey.org/)

Mas o que seria o Chocolatey?

Um poderoso e simples gerenciador de pacotes, utilizado via Powershell e baseado nas novas técnicas de automação (DevOps), trazendo para o Windows uma experiência similar aos gerenciadores baseados em Linux.

Basicamente com o Chocolatey podemos automatizar a instalação de aplicativos através de pacotes tanto para um único computador em larga escala para vários servidores, de uma forma MUITO simples e rápida. Todos o quanto é custoso realizar instalações de software de forma tradicional.

O segredo está nos pacotes. A partir do momento que temos um gerenciador, a instalação de aplicativos se torna bem mais fácil.

Como funciona?

O próprio Chocolatey possui seu repositório de pacotes, com muitos aplicativos já testados neste formato. Neste momento são mais de 7000 pacotes disponíveis. Também é possível criar um repositório na sua rede interna, onde todos os pacotes serão baixados e as instalações serão ainda mais rápidas.

O Chocolatey é gratuito?

Existe a versão OpenSource, gratuita, que no meu entender atende na maioria dos casos, porém também existem versões pagas, com foco mais corporativo e com suporte. ASs diferenças entre as versões podem ser verificadas aqui.

Em quais versões do Windows o Chocolatey funciona? Quais os requisitos?

Windows Client – do Windows 7 em diante
Windows Server – Windows 2003 em diante, exceto o  Windows Nano Server
Windows PowerShell v2 ou mais atual
.NET Framework 4.x

Como instalar o Chocolatey?

Abra uma sessão do PowerShell como Administrador e execute o comando abaixo:

Set-ExecutionPolicy Bypass -Scope Process -Force; [System.Net.ServicePointManager]::SecurityProtocol = [System.Net.ServicePointManager]::SecurityProtocol -bor 3072; iex ((New-Object System.Net.WebClient).DownloadString(‘https://chocolatey.org/install.ps1’))

CHOCOLATEY2

Este comando da um Bypass na necessidade de habilitar a execução de scripts no PowerShell.

Se a instalação ocorrer com sucesso podemos já instalar pacotes.

Como instalar pacotes?

Primeiramente habilite a execução de scripts PowerShell na máquina. Para isso com o Powershell aberto, execute:

Set-ExecutionPolicy Unrestricted

Agora já podemos instalar o pacote que quisermos, como por exemplo, o novo navegador Edge, da Microsoft. Para isso vamos executar no PowerShell:

choco install microsoft-edge -y
Chocolatey_3

Muito simples, certo?

Mas e agora?

Faça a instalação e a automatização dos aplicativos que quiser via pacotes. Instale os navegadores Google Chrome ou Firefox, o VLC Player para assistir vídeos, o Adobe Reader, o 7-zip e assim por diante. Você pode automatizar, por exemplo, um pós instalação de desktops e servidores Windows. Verifique dentre os mais de 7000 pacotes disponíveis quais são necessários para você, sua empresa e seu cliente. Então, tenham boas instalações!

Identificando o tipo de disco no Windows e no Mac via linha de comando

Olá pessoal,

você já recebeu um equipamento para manutenção e precisa saber se o disco instalado na máquina é um HD convencional ou SSD? Sim, existem diversas ferramentas gráficas que podem fazer esse tipo de consulta, mas como obter essa informação via linha de comando sem a necessidade de instalar qualquer programa de terceiros?

Vou demonstrar como fazer no Windows e no macOS.

No Windows:

Abra o Powershell e execute o comando Get-PhysicalDisk

WINDOWS_SSD_POWERSHELL_3

Para o obter as informações de forma mais resumida, execute Get-PhysicalDisk | Select FriendlyName, MediaType

WINDOWS_SSD_POWERSHELL_4

No macOS:

Abra o Terminal e execute o comando diskutil info disk0 (considerando que tem apenas um disco em seu Mac. Se houverem mais basta mudar a numeração, 1, 2 e assim por diante.

MAC_SSD_TERMINAL_2

Até a próxima!

Conectando em um banco de dados Firebird via Linha de comando usando ISQL

Olá pessoal,

fui acionado por um cliente hoje devido ao sistema da empresa dele estar inoperante. Ambiente totalmente legado com servidor Windows Server 2008 R2, sistema antigo, com arquitetura ultrapassada, desenvolvido em Delphi com banco de dados Firebird 2.5. Sistema e banco armazenados no mesmo servidor.

Eu precisava acessar o banco para verificar a existência de uma tabela específica. Então como proceder?

Simples, utilizando o ISQL, ferramenta baseada em linha de comandos, que vem nativamente com a instalação padrão do Firebird.

Execute o ISQL em “C:\Program Files (x86)\Firebird\Firebird_2_5\bin\isql.exe” -z

Para conectar ao banco utilize a sintaxe abaixo:

CONNECT  ‘Caminho_da_base’ user ‘USUÁRIO’ password ‘SENHA’;

Então vejam o comando abaixo como exemplo:

CONNECT ‘D:\dados\Corporativo\SISTEMA\Database\SISTEMA.GDB’ user ‘SYSDBA’ password ‘masterkey’;

Se as informações estiverem corretas, a conexão ao banco será realizada conforme a tela abaixo. Na última linha, em Database, será exibido o caminho do banco cuja conexão foi realizada.  A partir daí você pode executar as tarefas necessárias na base de dados.

ISQL_FIREBIRD

Até a próxima!

Diário de Uberlândia – Coluna Mundo Tech – Serviços gratuitos de armazenamento em Nuvem – 12/01/2020

Olá pessoal,

ontem na Coluna Mundo Tech  que eu publico todos os domingos no Jornal Diário de Uberlândia, eu falei sobre opções gratuitas de serviços de armazenamento de dados em nuvem.

Até a próxima!

MUNDO_TECH_12012020

Diário de Uberlândia – Coluna Mundo Tech – Alternativas ao Microsoft Office – 08/12/2019

Olá pessoal,

Segue abaixo a Coluna Mundo Tech publicada ontem (08/12) no jornal Diário de Uberlândia, onde eu indico duas alternativas de pacote de escritório gratuitas, uma offline (Libre Office) e uma online (Google Docs). Espero que gostem!

MUNDO_TECH_08122019

Verificando a versão do Oracle Linux

Olá pessoal,

LinuxTuxUm cliente me acionou para fazer alteração em um servidor um servidor Linux mas para isso seria necessário identificar a versão do sistema operacional em questão. O cliente informou que acreditava se tratar de um Oracle Linux, mas não tinha certeza.

No caso do Oracle Linux esta informação se encontra no arquivo oracle-release armazenado em /etc.

Pois bem, acessei remotamente via SSH e utilizei o comando cat para ler o arquivo que contém a informação de versionamento do Oracle Linux, vejam abaixo:

cat /etc/oracle-release

A resposta foi: Oracle Linux Server versão 6.9

Até a próxima!

Exchange Server – Alguns comandos PowerShell para gerência dos databases

Olá pessoal,

WindowsPowerShellHoje eu compartilho com vocês alguns comandos PowerShell bastante úteis para gerencia e suporte em ambientes com Exchange Server na rede.

Para obter informações sobre cada mailbox existente em todos os databases em um servidor Exchange, execute:

Get-MailboxStatistics

Para saber a quantidade exata de mailboxes criadas no Exchange Server execute, substituindo SERVIDOR, pelo nome do seu servidor:

Get-Mailbox -Server SERVIDOR | Measure-Object

Para identificar a quantidade de maiboxes criadas em cada database existente no Exchange, execute:

Get-Mailbox | Group-Object -Property:Database | Select-Object Name,Count | Sort-Object Name | Format-Table -Aut

Até a próxima!

Live Migration de máquina virtual no Hyper-V via PowerShell

WindowsPowerShellOlá pessoal,

Devido a necessidade de um cliente eu precisei automatizar o processo de Live Migration de máquinas virtuais baseadas no Hyper-V/Windows Server. Para isso utilizei os comandos PowerShell abaixo:

Primeiro devemos importar o módulo do Failover Cluster no equipamento onde os comandos serão executados:

Import-Module FailoverClusters

Após isso, para realizar o Live Migration de uma VM utilize:

Get-Cluster “Nome_do_Cluster” | Move-ClusterVirtualMachineRole -Name “Nome_da_máquina_virtual” -Node “Nome_do_nó_do Cluster”

Vejam o exemplo: Get-Cluster SRVCLUS01 | Move-ClusterVirtualMachineRole -Name SRV01 -Node SRVHV01

Será exibida uma barra de status do processo no prompt do PowerShell. Aguarde todo o processo e verifique no nó de destino se o processo ocorreu com sucesso e a máquina virtual está ok.

Até a próxima!

Realizando teste de conexão com um database SQL Server

Olá pessoal,

dica rápida para quem precisa validar/testar as credenciais de acesso a um banco de dados baseado no SQL Server.

A partir do PC/Notebook/Servidor com sistema operacional Windows, de onde será feito o teste de conexão, crie um arquivo txt sem conteúdo com nome, por exemplo, testedeconexao.txt

Renomeie este arquivo *.txt criado para a extensão *.udl, no exemplo então renomeie para testedeconexao.udl

Execute o arquivo testedeconexao.udl e será exibida a tela abaixo.

SQLTest1

Selecione o servidor para o qual deseja realizar o teste, defina as credenciais de acesso e para qual banco a tentativa de acesso será realizada. Após isso clique em Testar conexão.

SQLTest2

Até a próxima!

 

DHCP – Buscando reservas de IP via Mac Address

Olá pessoal,

estamos de volta após um intervalo de muito trabalho, eventos e atividades.

PromptComandoImaginem o seguinte cenário. Preciso descobrir se um determinado notebook possui reserva no servidor DHCP com Windows Server 2008 R2.

Como proceder?

Opção 1: Visualizar cada uma das inúmeras reservas criadas em busca do Mac Address do equipamento em questão.

Opção 2: Executar o comando abaixo no prompt do servidor DHCP:

netsh dhcp server dump | find /i”Endereço_Mac”

Exemplo: netsh dhcp server dump | find /i”681401a5b907″

Será feita uma consulta no servidor em busca de uma reserva, se houver será exibida, se não houver nada será mostrado.

Para obter a lista de todas as reservas criadas no servidor DHCP execute:

netsh dhcp server dump

Para facilitar a pesquisa e também documentar as reservas jogue o resultado para um arquivo através do comando abaixo:

netsh dhcp server dump >reservasdhcp.txt

Espero ter ajudado com mais uma dica útil para o nosso dia a dia de suporte e administração de servidores.

Até a próxima!