Participação no Festival Latino-americano de Instalação de Software Livre 2018 em Uberlândia/MG

Olá pessoal,

No último dia 28/04 mais uma vez eu tive a oportunidade de participar de um grande evento, o Festival Latino-americano de Instalação de Software Livre que ocorreu em diversas cidades, inclusive em Uberlândia, na Faculdade Pitágoras, onde eu apliquei a palestra “Microsoft + Open Source”

Agradeço a todos os que prestigiaram o evento e em breve nos encontraremos em novos eventos na região.

Abaixo eu compartilho algumas fotos e também o pptx que eu utilizei na minha apresentação.

Um forte abraço e até o próximo evento!

Flisol 2018 hoje em Uberlândia

Olá pessoal,

Hoje ocorrerá em Uberlândia, e em todo o mundo, mais uma edição do Festival Latino-americano de instalação de Software Livre, o Flisol, um evento tradicional, que ocorre desde 2005 e que possui uma missão de fomentar a utilização de software livre.

Aqui em Uberlândia o evento será realizado na Faculdade Pitágoras, das 08:30 às 18:30.

Eu tive o prazer de participar da organização do evento e vou aplicar a palestra “Microsoft + Open Source”

Maiores informações e inscrições em http://flisoluberlandia.com/

Aguardamos vocês lá!

FLISOL2018

Entrevista da semana (JAN 01/04): João Jotta (Portugal)

Olá pessoal,

na entrevista desta semana eu conversei com o João Jotta, um profissional que atua com suporte e reparação de computadores, tablets e celulares na região da Alcobaça, em Portugal e que também é um entusiasta de games! Muito interessante a entrevista. Leiam abaixo:

1 – Como você começou na área de TI e de manutenção de computadores?
Eu sempre fui muito curioso com computadores mas nunca tive um. Tive um Spectrum quando era muito novo, depois um Amiga e só com a idade de 18 anos é que tive o meu primeiro PC. Com Windows, na altura.

A partir daí foi sempre a aprender. No segundo dia já não tinha os drivers/controladores do audio a funcionar. Era complicado na altura pois não sabia nada de nada e não tinha internet (estávamos em 1998) e lembro-me perfeitamente daquela sensação boa de quando voltei a por o computador a funcionar. Daí até começar a arranjar os computadores dos amigos e dos amigos dos amigos foi um passo.  Mais a sério, enquanto “profissional”, só comecei mais tarde.

2 – Fale um pouco sobre o mercado de reparação de computadores na região onde você atua.
Eu vivo numa pequena vila cá em Portugal e a coisa funciona muito na base do passa a palavra. Em Portugal o mercado está mais ou menos controlado por uma grande casa de reparações que atua nos grandes centros comerciais, pelas grandes lojas de multimedia e pouco mais. Cá o negócio da loja de computador é muito escasso e são raros os casos de sucesso.

3 – Você trabalha em uma empresa ou de forma independente?
Trabalho por conta própria. Não é a principal atividade pois o mercado, como disse, aqui na terra é muito pequeno mas todas as semanas aparece alguém com um telemóvel ou um computador com algum problema.

4 – Qual estratégia você utiliza para captar novos clientes?
A publicidade funciona muito pouco em meios pequenos. Por outro lado, toda a gente se conhece e rapidamente a palavra se espalha e já se sabe onde levar o computador ou telemóvel com problemas.

Quanto a estratégia, eu aposto na satisfação do cliente. Não peço muito dinheiro, faço só o que o cliente pede e tudo o que recomendo faço com essa intenção para tirar pressão dos clientes. Resulta? Sim. A maioria volta pois ganha confiança.

Além disso tenho certificação de formador o que ajuda muito a lidar com os clientes e explicar algumas dúvidas que tenham. Aposto também na formação individual e tem funcionado muito bem uma vez que acabo fazendo o cross-sale entre formação e reparação.

5 – Você recebe mais demandas de atendimento relacionadas a Hardware ou Software?
É praticamente igual. Nos telemóveis é normal haver alguém com o vidro partido mas como também tenho certificação Apple em suporte ao cliente muita gente vem com dúvidas de iPhone e iPad.

Nos computadores é mais o software (abençoado Windows para o negócio, né?) mas lá vai aparecendo alguém com problema de botões nos portáteis.

6 – Sabemos que a área de TI é bastante dinâmica. Como você faz para manter-se atualizado? Quais revistas, livros, sites ou blogs você recomenda?
Muita pesquisa. Passo todo o tempo que posso pela internet a atualizar-me com as novidades mas também tenho o meu posto de trabalho com imensos computadores. Tenho… 1, 2, 3… são uns 10, quase. Sempre que posso vou instalando sistemas operativos e vou procurando, regularmente, fazer qualquer coisa para “pescar” erros para resolver.

7 – Conte os equipamentos que você possui e utiliza no seu trabalho de reparação de computadores. Você possui um Home Lab?
Então: 1 PC principal, 1 MacBook Air, 1 PC servidor de ficheiros, 4 PC Pentium para software antigo, 6 pc Core 2 Duo para formação e testes.

8 – Qual o seu sistema preferido? Windows, Linux ou Mac OS?
Gosto muito de macOS. Acho um sistema fantástico para quem não tem tempo ou paciência para aprender. Bem mais simples que o Windows. Apenas é diferente o que confunde muita gente. Contudo, vejo o sistema perder muita qualidade ao longo dos anos o que me afastou imenso da plataforma (nem foi o preço). Já só uso mesmo porque o software para design gráfico (Affinity Designer) é fantástico!

Hoje em dia sou VICIADO em Linux. É o que tenho no computador principal (Arch Linux) e é lá que faço praticamente tudo. Não gosto do Windows (nunca gostei).

9 – Você gosta é um entusiasta de games? Se sim, costuma jogar em quais plataformas? (Se puder mande fotos)
Sim. Tenho uma biblioteca na Steam que é bem simpática (já passei os 430 jogos). jogo, essencialmente, em Linux. Contudo há ainda dois ou três títulos que só posso jogar no Windows e para isso tenho um segundo disco rígido no computador só para esse efeito.
Também jogo alguns jogos num Pentium 4 velhinho, com Windows XP, porque não muito antigos e não correm bem no Windows 10 ou porque a resolução só suporta 4:3 e não 16:9.

10 – Por fim, nos passe seus canais de comunicação na internet e como os leitores podem entrar em contato com você (Blog, Twitter, Linkedin, Facebook, site…)
É fácil. Basta procurar na internet por “joaojotta” e eu vou aparecer. no entanto, dou total preferência ao Twitter @joaojotta.

Endless na Campus Party Bahia

EndlessA Endless, empresa que desenvolve soluções para a promoção da inclusão digital, estará presente na Campus Party Bahia, que acontece de 8 a 13 de agosto em Salvador, e vai presentear com um Endless Mini e outros brindes campuseiros que ajudarem a disseminar o Endless OS, uma plataforma para desktop gratuita e que vem com conteúdo acessível off-line.

Durante o evento, a Endless vai presentear com um computador Endless Mini o campuseiro que postar no youTube o melhor vídeo de demonstração do Endless OS. Haverá ainda distribuição de kits de brindes Endless para os participantes que tiverem mais visualizações em seus vídeos de demonstração.

Além de promover esta e outras ações de mídia social, a Endless vai realizar um workshop de Flatpak, novo sistema de distribuição de aplicativos para distribuições Linux. O Flatpak permite que aplicativos desenvolvidos para outras distribuições Linux sejam compatíveis entre si, ampliando o alcance de apps de software livre. A tecnologia também permite ao Endless ampliar a oferta de conteúdo acessível off-line para os seus usuários.

O workshop de Flatpak vai ser realizado na Arena Fonte Nova durante a Campus Party na sexta-feira dia 11 de agosto, das 18h às 19h30.  Mais informações neste link. Read more of this post

HP faz parceria com Endless visando expansão de mercado de PCs

HP240-EOS

Olá pessoal,

Estávamos precisando de iniciativas como essa eu vou anunciar abaixo até mesmo para que o consumidor possa optar pelo sistema operacional Linux de forma nativa e já instalado no equipamento que estiver sendo comprado. Além de fortalecer a base de usuários Linux no mercado brasileiro com uma estratégia séria e com suporte.

A Endless e a HP Inc. anunciam o lançamento do notebook HP 240 com o sistema operacional Endless OS, desenvolvido com foco na inclusão de novos usuários na era digital. O HP 240 é um modelo ideal para as aplicações mais comuns e, com a parceria, oferecerá uma opção ainda mais acessível para novos usuários, pois combina a performance da HP com a usabilidade e o vasto conteúdo pré-instalado do Endless, acessível mesmo offline.

O sistema operacional foi desenvolvido com base em pesquisas em regiões onde a população tem acesso restrito à internet e grande familiaridade com smartphones. Ele vem com mais de cem aplicativos e ferramentas de trabalho e produtividade, incluindo uma enciclopédia com mais de 80 mil artigos, jogos educacionais, ferramentas para redigir documentos, planilhas e apresentações, e programas para editar vídeos e fotos, criar protótipos em 3D e ouvir música.

Para a HP, o produto representa uma oportunidade de oferecer soluções cada vez mais personalizadas de acordo com a necessidade de seus usuários. Segundo Bruno Ortolani, Gerente de Produtos da HP Inc., o foco da empresa é a experiência do usuário. “Oferecer um produto que promove inclusão digital e permite que a HP alcance um número cada vez maior de pessoas que, mesmo sem conhecimento prévio, terão oportunidade de adquirir seu primeiro notebook e usá-lo sem dificuldade ou limitações devido à conexão”, afirma Ortolani.

Para a diretora geral da Endless no Brasil, Roberta Antunes, “ao simplificar a experiência de uso do computador, que passa a ter valor para o usuário com ou sem internet, o sistema pode abrir as portas para um novo mercado: um vasto universo de usuários que sonha com o primeiro computador”.

O cenário brasileiro evidencia uma grande oportunidade. De acordo com uma pesquisa do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) encomendada pela Anatel, 6 milhões de residências brasileiras ainda não possuem acesso à internet por falta de cobertura e, de acordo com o Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação (Cetic.br), 68% dos domicílios ainda não têm computador portátil.

Com o produto, a HP pretende expandir o mercado consumidor criando um novo conceito de computador que já vem pronto para família, sem necessidade de compra de pacotes adicionais. Além disso, a empresa enxerga outro público que será beneficiado pela parceria. “Empresas que buscam soluções educacionais por meio de uma plataforma acessível e que permite a adição de pacotes desenhados para fins de educação também poderão se beneficiar do novo produto”, conclui Ortolani.

O notebook HP 240 com Endless está disponível a partir de R$1499, com a configuração: processador Intel Core i3, memória de 4GB, disco de 500GB, tela de 14’ HD, webcam integrada e gravador de DVDRW. O produto está disponível no site da HP: www.lojahp.com.br

Em breve eu vou disponibilizar um vídeo sobre o Endless OS.

Até a próxima!

Nostalgia Gamer: Montando um console retrô com RetroPie no Raspberry Pi Zero, o computador de 5 dólares

Olá pessoal,

Quem me conhece sabe que eu sou um apaixonado por Games antigos e mesmo o blog não sendo especializado, vez ou outra eu publico algo a respeito. Em 2014, eu publiquei um artigo sobre o OpenEmu, plataforma de emulação para MacOS na extinta revista MacMais. No ano seguinte eu disponibilizei o pdf da matéria neste post.

Neste ano meu irmão me enviou dos Estados Unidos 3 unidades do Raspberry Pi Zero, o computador de 5 dólares, para que eu pudesse estudar mais a respeito do produto e também gerar conteúdo sobre.

Uma das utilidades que encontrei neste mini-computador é a possibilidade de transformá-lo em um console retrogamer, via emulação, utilizando o surpreendente sistema RetroPie, baseado no Raspbian, uma distribuição Linux específica para o Raspberry, cujo processo de instalação eu descreverei neste post. Em breve farei um post descrevendo este procedimento para instalação do RetroPie em um PC convencional.

retropielogo

Voltando ao RetroPie, se trata de um projeto bastante interessante criado para disponibilizar uma série de emuladores de consoles e  computadores antigos em uma única plataforma, utilizando uma interface bastante intuitiva  e de simples utilização, disponibilizando uma quantidade enorme de emuladores de consoles como os da Atari, Sega, Nintendo, Sony e computadores como Macintosh, ZX Spectrum, Amiga, Apple II, Commodore 64 entre outros. Veja a lista completa de emuladores disponíveis aqui.

Com o RetroPie você pode jogar novamente clássicos de quase todos os sistemas já lançados, porém com o Raspberry Pi Zero não é possível ter uma boa performance nos emuladores de consoles mais potentes. Nos bem antigos como, por exemplo, Atari, Nes, Master System, Mega Drive e Super NIntendo o desempenho é bem satisfatório, nos demais o ideal é obter uma versão mais potente do Raspberry Pi. No site do projeto a recomendação para se ter uma melhor performance é a versão 3, Model B.

Então vamos montar o console retrô com o Raspberry Pi Zero 1.3. Vejam abaixo as características da placa:

raspberry-pi-zero

  • 1GHz, Single-core CPU
  • 512MB RAM
  • Mini-HDMI port
  • Micro-USB OTG port
  • Micro-USB power
  • HAT-compatible 40-pin header
  • Composite video and reset headers
  • CSI camera connector (v1.3 only)

img_8596

Hardware necessário

Obviamente além do Raspberry Pi, precisamos dos seguintes itens de Hardware para montar o console retrô:

  • Cartão MicroSD, vejam aqui os modelos compatíveis, eu utilizei um de 16 GB
  • Leitor de Cartão MicroSD, utilizado para a instalação do RetroPie
  • Cabo HDMI
  • Adaptador Mini HDMI (Se o cabo HDMI já tiver uma das pontas MiniHDMI, desconsiderem)
  • Adaptador Micro USB
  • Televisão ou monitor com porta HDMI
  • Fonte de 5V 2A Micro USB, para alimentação do Raspberry, um carregador de celular, por exemplo
  • Hub USB
  • Pen Drive vazio para transferir as ROMs
  • Joystick USB, por exemplo, os do PS3 e XBOX 360 funcionam bem como outros modelos USB ou um teclado e mouse

Instalação do sistema

 

Para fazer a instalação do RetroPie no cartão MicroSD será necessário um computador com Windows, Linux ou Mac.

Estão disponíveis duas versões do sistema RetroPie, uma voltada para o Raspberry Pi 0/1 e outra para o Raspberry Pi 2/3. A release mais nova é a 4.1 e  download da imagem deve ser feito em https://retropie.org.uk/download/ 

Após o download descompacte o arquivo retropie-4.1-rpi1_zero.img.gz, seja via Shell no Linux via gunzip ou no Windows utilizando um programa, como por exemplo, o 7-Zip, que eu recomendo e utilizo diariamente.

No meu caso, utilizei o programa Win32DiskImager, recomendado no próprio site do projeto, em uma máquina com Windows para instalar o RetroPie no Cartão MicroSD. O procedimento é bem simples. Vejam abaixo:

Como o Win32 Disk Imager aberto, em Image File, selecione o arquivo de imagem do RetroPie que foi previamente baixado e descompactado. Ao lado, em Device, selecione o cartão MicroSD que deve estar conectado ao PC com Windows, certifique-se que a unidade  correspondente está correta e clique em Write. O cartão MicroSD será formatado e o RetroPie instalado.

win32diskimager2

Agora conecte o cartão de memória ao Raspberry Pi e ligue a placa.

Em Welcome, devemos configurar o Joystick plugado no Raspberry, no meu caso utilizei o do XBOX 360, sem dúvida o meu preferido. Pressione qualquer tecla por alguns segundos e o processo de configuração iniciará. Feito isso será apresentada a interface do EmulationStation, onde poderemos selecionar qual sistema vamos utilizar e qual jogo vamos jogar. De imediato nenhum sistema é disponibilizado pois as roms dos jogos devem ser adicionadas às pastas dos sistemas para posterior visualização.

Tranferindo as roms para o RetroPie

As roms podem ser transferidas via rede ou através de um PenDrive USB. Neste post vou demonstrar o processo via PenDrive pois o Raspberry Pi Zero que eu recebi não vem com adaptador WI-FI e eu não estou com uma interface de rede USB disponível no momento.

Para copiar as roms via Pendrive siga os passos abaixo:

  1. Formate o pendrive que você disponibilizou para esta finalidade, com FAT32 ou NTFS. Eu utilizei um SanDisk de 16 GB formatado com FAT32.
  2. Crie uma pasta chamada retropie neste Pendrive
  3. Conecte o Pendrive no HubUSB ligado ao Raspberry e deixe conectado por alguns poucos minutos para que seja criada a estrutura abaixo da pasta retropie criada no passo anterior. Caso o Pendrive possua led, aguarde o led parar de piscar
  4. Conecte o Pendrive no PC novamente e adicione as roms nas pastas correspondentes aos sistemas abaixo de retropie/roms retropieroms
  5. Conecte o pendrive novamente ao Raspberry e aguarde a cópia das roms
  6. Reinicie o Retropie e os emuladores e jogos que você copiou estarão disponíveis. Lembrem-se que a cada vez que este procedimento de cópia do Pendrive para o Raspberry for feito, o sistema deve ser reiniciado.

Agora é só aproveitar e jogar os games clássicos!

Configurações de data e hora via terminal no Linux

linuxOlá pessoal,

Para alterar as configurações de data e hora em servidores Linux via terminal, seja localmente ou remotamente via SSH, executem os comandos abaixo, como root:

Para verificar as configurações atuais digite:

# date

Para mudar da data, execute:

# date -s mm/dd/yy

Considere mm=mês, dd=dia e yy=ano

Para mudar a hora, execute:

# date -s hh:mm:ss

Considere hh=hora, mm=minutos e ss=segundos

Video – Servidores Linux e Unix em ambientes Microsoft

Olá pessoal,

no ano passado apliquei a palestra Servidores Linux e Unix em ambientes Microsoft Hyper-V e System Center no Ciclo de Palestras e como o tema é bem interessante e não houve gravação, eu reduzi a apresentação e gravei o vídeo abaixo.

Vejam e comentem!

 

Ciclo de Palestras – Hoje a partir das 19:00 – Servidores Linux e Unix em ambientes Microsoft

Estarei hoje a partir das 19:00 no Sindpd-RJ estarei falando sobre Servidores Linux em ambientes Microsoft. Espero por vocês lá.

CicloPalestraLinux

Linux no Hyper-V 2012 R2 – Lista atualizada de distros compatíveis

Segue abaixo a lista atualizada de distribuições Linux que possuem compatibilidade com o LIS (Linux Integration Services) da Microsoft e consequentemente com o Hyper-V no Windows Server 2012 R2. Ter o suporte ao LIS, significa a possibilidade de poder instalar e utilizar drivers de dispositivos sintéticos, tornando a experiência e o desempenho bem mais aprimorados. Outras distribuições podem ser executadas em VMs no Hyper-V? Sim, mas as listadas abaixo são as suportadas pela Microsoft, com suas versões e se possuem o LIS nativo ou com necessidade de download e posterior instalação.

LIS

Em 2012, publiquei um Post a respeito da instalação do Ubuntu 12.04, que naquela época já possuía o LIS nativo.

O download do LIS pode ser feito aqui.